Chapada dos Veadeiros: Rancho do Waldomiro

O Rancho do Waldomiro (ou “seu Waldomiro”) é praticamente um patrimônio da Chapada do Veadeiros. A matula servida por lá foi dica unânime entre os meus amigos e acabamos dispensando o restaurante da fazenda São Bento.

Até demos uma passada para conferir, mas, para piorar, a opção dada era o famoso “coma à vontade” por 50 reais, também conhecido “prejuízo” para a maioria das pessoas. Por maior que seja a minha fome, eu não consigo comer loucamente e sempre acho que paguei caro demais.

Seguimos nosso coração e a estrada em direção à Vila de São Jorge olhando bem para não perder a entrada do Rancho do Waldomiro, que fica na altura do Km19 da GO-239. Lá, o esquema é o PF de matula, que custa 25 reais.

» Confira o roteiro completo

Prato típico dos tropeiros, a matula é conhecida como a feijoada do cerrado e junta vários tipos de carne (sei que tem carne de sol no meio, mas prefiro não pensar na linguiça nem nos miúdos de porco) temperados com cúrcuma. A sustância se completa com feijão branco, arroz, farofa (carinhosamente chamada de paçoca de carne seca), mandioca e abóbora cozida. Pesado, mas gostoso que só!

Pratão do Waldomiro (quer dizer, do Patrique)

O charme do Rancho vai além das enormes mesas de madeira, do chão de terra, da tenda de palha. Na verdade, estamos tão acostumados com os processos rápidos, que até estranhamos quando tudo desacelera. Foi nesse clima que curtimos o almoço e a oportunidade de levar uma prosa com o próprio Waldomiro, um senhor que já deve ter passado dos 70 anos e é um excelente contador de histórias!

Pedra da Baleia, uma das estrelas das histórias de Waldomiro

Enquanto tentávamos acabar com aquele prato enorme, ouvimos como foi sua infância na região, ainda pouco desbravada; sua paixão pelo Morro da Baleia, que acaba ali dentro de seu terreno; a construção de sua casa e seu negócio, onde toda a família trabalha.

E o papo rende com sr. Waldomiro

Além da matula, Waldomiro oferece uma extensa “carta” de cachaças e licores produzidos por ele no rancho – todos com direito a provinha, o que deixou o motorista da rodada um pouco triste – e algumas opções de doce, pra ajudar na digestão e fechar o almoço na felicidade.

Nos despedimos com duas garrafas debaixo do braço e um sorriso imenso na cara.

Nosso anfitrião

Rancho do Waldomiro

Altura do Km19 da GO-239
Preço: R$ 25 o prato feito