Lençóis Maranhenses: Santo Amaro

Santo Amaro foi escalado para o nosso roteiro por sua fama de ter algumas das lagoas mais lindas dos Lençóis Maranhenses. Considerada a porta oeste do Parque, a cidadezinha serve de pouso para quem procura mais sossego. O município de pouco mais de 15 mil habitantes não tem a mesma estrutura de Barreirinhas e, por conta da distância de 112 Km, acaba sendo dispensado por quem visita os Lençóis com menos tempo. O bate-volta é cansativo, mas vale muito a pena!

Por ser um destino mais afastado, as saídas de Barreirinhas acontecem bem cedo, a partir das 7h30. Ainda espantando o sono, me animei com a possibilidade de ir nos bancos da frente da jardineira, que ainda estavam desocupados quando entramos no carro. Mas, antes mesmo de pegar a BR402, saindo de Barreirinhas em direção a Santo Amaro, nosso guia envelopou a parte de trás do possante: “É pra vocês não comerem poeira”.

É que, em agosto de 2016, a antiga estrada de areia já tinha sido terraplenada, fazendo com que o tempo de viagem fosse otimizado e o trajeto evoluísse de sacolejante para empoeirado. Depois de um trecho de asfalto, passamos para a estrada de terra até o hospital e, a partir daí, dá-lhe areia. Para chegar ao centro de Santo Amaro, ainda é preciso cruzar o rio Alegre.

Cruzando o Rio Alegre, que estava bem baixinho

Depois de passar rapidamente pelo simpático centrinho, seguimos em direção à primeira parada: a Lagoa da Gaivota. Dessa vez, o carro pode ir até bem perto da lagoa, o que torna a subida da duna mais emocionante. A vista, que já estava cansada de tanta areia, é surpreendida pelas águas da Gaivota e, aí, foi só correr para o mergulho.

A Lagoa da Betânia, que fazia parte do roteiro, estava seca e foi substituída pela Lagoa das Andorinhas. E ninguém se incomodou, porque esse foi um dos melhores banhos que tomamos nos Lençóis Maranhenses.

Por volta das 14 horas, voltamos para o carro e seguimos até o Rancho das Dunas, onde passamos no início do dia para encomendar o almoço. O restaurante oferecia alguns pratos com preços semelhantes aos que vimos no centro de Barreirinhas e ainda pudemos tomar uma chuveirada de água doce na área da piscina.

Além de comer um peixe bem saboroso, experimentamos um mousse de bacuri arrasador, que não estava no cardápio, mas nos foi oferecido quando perguntamos pela sobremesa.


Santo Amaro

Formado por: Lagoa da Gaivota e Lagoa das Andorinhas
Passeio feito de manhã pelas agências de turismo
Duração: 10 horas
Preço: R$ 180 por pessoa (em agosto de 2016)
Agência: São Paulo Ecoturismo